17.11.12

 

 

Nacional da Madeira 0-3 FC PORTO

 

Vítor Pereira arriscou. Escolheu um 11 inicial com somente 2 titulares, Otamendi e Lucho. Jogar na Madeira nunca é fácil. 

 

O Porto entrou bem, Kléber teve uma grande oportunidade para dar vantagem ao Porto mas falhou o cabeceamento. Minutos depois excelente jogada de Atsu e Lucho de primeira e de pé esquerdo faz um Grande Golo. O Porto controlava o jogo, o Nacional não conseguia criar perigo. Somente de bola parada conseguia chegar a nossa área. 

 

Na segunda parte o Nacional entrou um pouco mais agressivo mas nunca assustou verdadeiramente. Vítor Pereira fez entrar o Moutinho e o James num momento importante do jogo. Depois de mais uma assistência do Atsu, Mangala fez o segundo golo que dava tranquilidade a equipa. Com dois golos de avanço o Porto controlou o jogo, quando necessário Fabiano esteve sempre muito bem. Mas ainda faltava um golo para fechar o marcador, Moutinho fez um belo passe e Kléber finalizou muito bem, um golo muito importante para ele. 

 

Falando dos jogadores menos utilizados. Fabiano fez um excelente jogo, Castro e Iturbe sem terem brilhado fizeram um jogo positivo. Kléber fez um golo que coloriu a sua exibição. No geral eu gostei de todos. 

 

Vítor Pereira arriscou, pois jogar na choupana com muitos suplentes não é fácil. Acreditou nos jogadores menos utilizados e foi premiado por isso. Além da vitória foi muito importante saber que temos suplentes com alguma qualidade. Mérito para o Vítor Pereira. 

 

Destaques Positivos: Atsu - Fez duas assistências e foi sempre o principal desequilibrador da equipa. Otamendi - É oficialmente o patrão da nossa defesa. Lucho - Com tantos suplentes foi o ponto de equilíbrio da equipa e fez um golão. 

 

Não tenho destaques negativos. 

 

Conclusão: Com somente 2 titulares, Vítor Pereira arriscou, confiou nos jogadores menos utilizados. Tendo em conta as circunstancias só posso estar satisfeito por esta vitória. A equipa respondeu muito bem a este desafio. Fomos uma equipa muito adulta, consistente na defesa e eficaz no ataque. Mérito para o Vítor Pereira. 

 

 

 

Andebol


11ª Jornada do Campeonato Nacional

 

FC PORTO 31-18 Madeira SAD 

 

 

 

Hóquei em Patins

 

7ª Jornada do Campeoanto Nacional 

 

OC Barcelos 4-8 FC PORTO


link do postPor 100% Dragão, às 22:58  Comentar

De Manuel Vila Pouca a 18 de Novembro de 2012 às 09:14
Fabiano, Miguel Lopes, Abdoulaye, Otamendi e Mangala, Castro, Defour e Lucho, Iturbe, Kléber e Atsu.
Se olharmos para cima, para a equipa que entrou, rapidamente constatamos que apenas 2 jogadores, normalmente, titulares indiscutíveis, Otamendi e Lucho, entraram de início. Isso diz tudo das demasiadas alterações e alguns riscos que Vítor Pereira aceitou correr. Mas, mesmo com um conjunto muito diferente do habitual, a equipa portista fez uma primeira-parte muito agradável e chegou ao intervalo a vencer justamente por 1-0. Apesar de um ou outro lance de perigo, mais depois do golo de Lucho aos 27 minutos - fantástica a jogada de Atsu, circunstancialmente na direita, com um cruzamento para o 2º poste, onde apareceu El Comandante, de primeira e sem deixar cair no chão, a fazer um magnífico golo - e quase sempre através de lances de bola parada, livres, cantos e até lançamentos laterais, o F.C.Porto foi melhor. Com excepção de Mangala, com dificuldades naturais a atacar, mas também na cobertura ao jogador que lhe surgia por ali e Kléber, que não aproveitou duas belos ocasiões de golo, o resto da equipa movimentou-se e organizou-se bem, soube ter bola, fazê-la circular, foi capaz de pressionar e fez algumas jogadas interessantes. Atendendo à equipa utilizada, os primeiros 45 minutos portistas foram uma agradável surpresa e o resultado nem merecia discussão.

A segunda-parte foi muito parecida com a primeira.
Sendo o jogo de Taça de Portugal, a eliminar, era natural que o Nacional tenha saído para o jogo mais activo, mais atrevido, mais perigoso. Mas, a equipa portista, com a defesa, guarda-redes incluído - Fabiano, ainda tem coisas a melhorar, nomeadamente, nas saídas aos cruzamentos, mas tem tudo para vir a ser no futuro o nº1 -, aguentou e depois, com o 2-0 por Mangala e a entrada da qualidade que Moutinho e James, primeiro e Danilo depois, trouxeram, o F.C.Porto geriu bem, controlou melhor e ainda aumentou, num belo lance que Kléber concretizou - espero que seja o clique para que o nº11 portista, arrebite, definitivamente.
Mais golo menos golo, ninguém colocará em causa ajustiça da vitória do bi-campeão. A lamentar a lesão de Mangala.

Nota final:
Atendendo aos condicionalismos que impediram o trabalho normal de preparação do jogo; atendendo à equipa que entrou, sem rotinas e com jogadores pouco rodados; podemos considerar que a vitória e a exibição do F.C.Porto foi uma belíssima surpresa. Vítor Pereira arriscou e deu uma oportunidade a quem tanto a tem reclamado e o F.C.Porto pode ter ganho jogadores para o futuro. Abdoulaye joga como um veterano e deve ser a luz que ilumina, Iturbe, Castro, Kelvin...
Obviamente não referi C.Atsu, esse já é uma certeza e hoje demonstrou-o exuberantemente.

Abraço

Estádio do Dragão
Novembro 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
15

19
20
23

25
27
29
30


blogs SAPO