28.4.12

 

 

 

Marítimo 0-2 FC PORTO

 

O 11 inicial teve uma surpresa, a entrada do Varela e saída do Janko, assim Hulk jogou no centro do ataque. 

 

Começamos bem o jogo, pressionamos muito e criamos alguma oportunidades, a cruzamento do Varela Hulk falhou um golo fácil. Mas o primeiro golo chegou pouco depois com um erro do jogador Madeirense que jogou sem necessidade a bola com a mão. Hulk marcou o penalty. Depois do golo o Porto começou a controlar o jogo mas atacando pouco, ainda fomos a tempo de falhar mais um golo, agora foi James que finalizou mal. O Marítimo não fez rigorosamente nada na primeira parte.

 

A segunda parte foi diferente porque o Marítimo consegui criar algum perigo, o Porto tentou controlar mas foi demasiado passivo e permitiu ao adversário alguns ataques. Bem que nenhuma fosse muito perigoso, Helton fez uma defesa. As Melhores oportunidades eram nossas. Hulk depois de um grande passe do Lucho falhou isolado, mais tarde o próprio Argentino com a baliza quase aberta a falhou. Mesmo a acabar falta dentro da área bem assinalada e mais um penalty para Hulk finalizar. 

 

Destaques Positivos: Hulk - Melhor em campo mais uma vez, foi o maior desequilibrador. Lucho - Excelente jogo, pena o golo incrível que falhou. 

 

Destaques Negativos: Varela - Depois de um bons primeiros 15 minutos apagou-se aos poucos. Otamendi - Muito inseguro. Joga demasiado no limite. 

 

Conclusão: O Porto foi superior, criou as melhores oportunidades, pena alguma passividade na segunda parte que permitiu alguns ataques perigosos ao adversário. A azia do treinador do Marítimo no final do jogo foi cómica, durante a semana vai continuar. Esta vitória é muito importante. Campeões? Para já só no Andebol. Ainda temos mais duas finais. 

 

link do postPor 100% Dragão, às 22:23 

De Vila Pouca a 29 de Abril de 2012 às 15:05
Num dia de paradoxos para para a família portista - morte de Francisco Nóbrega, antigo internacional do futebol azul e branco e a conquista do titulo em Andebol, o Tetracampeonato -, o Campeão tinha na Madeira e frente ao Marítimo, um difícil obstáculo que ultrapassado lhe abriria as portas do Bicampeonato. Ganhou justamente e deu um passo de gigante rumo ao título. Falta menos que um bocadinhos assim...

Mantendo de início a equipa que tinha derrotado o Beira-Mar, apenas com duas excepções, Varela no lugar de Janko e a passagem de Hulk para o meio e Fernando no lugar de Defour, o conjunto de Vítor Pereira entrou forte, dominador, a jogar bem, rápido a atacar, mais pela esquerda e começou cedo a criar perigo e a querer resolver. Hulk, sempre ele, por três vezes esteve perto do golo - numa delas a bola só não entrou por milagre... encontrou um pé salvador... -, golo que surgiria aos 16 minutos, pelo Incrível, na transformação de um penalty claro, por mão de Fidelis. Era uma vantagem justa, o corolário da boa exibição portista. A ganhar a equipa azul e branca manteve o domínio, continuou a controlar, não foi tão perigosa como tinha sido até ao golo, mas nunca correu grandes riscos e se o resultado de um a zero se ajusta, se a vantagem fosse de dois golos, não escandalizaria.

Na etapa complementar já não foi tanto assim. O F.C.Porto jogou pior, não dominou, não controlou, não foi tão pressionante, houve equilíbrio, o Marítimo foi mais perigoso, criou problemas e com a vantagem mínima a persistir, o Campeão correu riscos de sofrer o golo do empate. Felizmente não aconteceu e já a acabar, novamente de penalty, sobre Djalma, também bem assinalado, Hulk fechou a contagem e garantiu a vitória.

Resumindo:
Boa primeira-parte do F.C.Porto, pior a segunda, mas nesta altura, mais que jogar bem, era fundamental ganhar, conquistar os três pontos que nos colocam a uma vitória - pode nem ser preciso... - do Bi.
Melhor Hulk que tem sido decisivo. Já James, tão idolatrado por alguns e que serviu muitas vezes como arma de arremesso contra Vítor Pereira, tem sido titular, mas como titular nunca conseguiu um jogo com a qualidade que evidenciou quando entrava a substituir alguém.

Notas finais:
Patéticas, vergonhosas e injustas as declarações de treinador e jogadores do Marítimo, parecia uma cassete. Pedro Martins, por exemplo, disse que nunca falou de arbitragens... pois, falou hoje. Porque será?
Olhem, limpem a azia ao guardanapo, juntem-se aos aziados vermelhos e vão-se queixar ao Platini.
Fantoches, marionetes, palhaços!
Quanto mais longe o clube do regime fica do título, mais os freteiros, recadeiros e lambe traseiros agitam os costumados papões. Já os conhecemos, estamos habituados, não nos aquece nem arrefece.

Neste momento somos campeões, virtuais, é certo, mas colocamos toda a pressão no clube do regime que sabe, se não ganhar amanhã, o Dragão é Campeão no sofá.

Parabéns aos adeptos que estiveram nos Barreiros pelo apoio que nunca faltou à equipa.

Abraço

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



Estádio do Dragão
Abril 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12

16
21

23
24
26

30


subscrever feeds
blogs SAPO