12.5.13

 

 

FC PORTO 2-1 Benfica

 

Vítor Pereira escolheu o 11 esperado. 

 

Cedo se percebeu que o visitante vinha para o Dragão para defender. Jogaram como se fossem um qualquer Olhanense ou Gil Vicente desta campeonato. Com um adversário estacionado e bem organizado defensivamente o Porto teve dificuldades em criar perigo, lá tínhamos a tal posse de bola mas sem conseguir desequilíbrios. O benfica marcou sem saber como, depois de vários ressaltos Lima finalizou. Poucos minutos depois, respondemos com um golo onde também tivemos muita sorte, o cruzamento de Varela bate no Super Maxi e enganou o GR.  

 

A segunda parte foi parecida à primeira. O Porto procurava a vitória sem conseguir criar oportunidades e os visitantes defendiam. A 20 minutos do fim, Fernando lesionou-se e o Porto perdeu o domínio, o benfica passou a ter mais bola e a conseguir sair do seu meio campo. Vítor Pereira arriscava com a entrada do Kelvin e do Liedson, JJ metia um central (Roderick). Um procurava a vitória o outro não. Vítor Pereira foi a procura da sorte e já em tempo de compensação Liedson tabela com Kelvin que com um remate cruzado de pé esquerdo faz um golão. Enorme emoção no estádio do Dragão, quando já muitos não acreditavam... o golo apareceu. 

 

 

 

Arbitragem

 

Pedro Proença foi habilidoso. Teve um critério que sempre favoreceu o benfica. Muitas faltinhas eram marcados para um lado mas para o outro não. Uma clara dualidade de critérios no jogo todo. A meio da 2ª parte Enzo fez uma falta para 2ª amarelo sobre o Lucho... mas Proença nem marcou a falta porque não queria expulsar o Argentino. Pouco depois foi a vez do Matic ter uma entrada para 2º amarelo Proença guardou o cartão. Em nosso favor tivemos um fora de jogo que ficou por marcar quando James atirou ao poste. 

 

Destaques Positivos: Kelvin - É o herói da noite. Fez um golão com o jogo a acabar. Fernando - Fez um grande jogo, não merecia sair lesionado. Muito forte na marcação, também tentou desequilibrar ofensivamente.  Moutinho - Enorme intensidade, sempre em alta rotação trabalhou em todos os terrenos do jogo. 

 

Destaques Negativos: James - O pior em campo. Fez um péssimo jogo, quando aparecia era para falhar passes ou se atirar para o chão.

 

 

Conclusão: Foi uma vitória emocionante. Kelvin foi o nosso herói com um grande golo no ultimo minuto de jogo. Mas o Campeonato ainda não acabou, não vamos cometer o mesmo erro dos outros. Falta ganhar o jogo mais complicado da época. Juntos e com muito trabalho vamos ganhar! Até lá... muita calma. 

 

Nota final para o Grande ambiente no estádio do Dragão. 

 

 

PS: Na Palhaçada TV o resultado foi outro 

 

link do postPor 100% Dragão, às 00:13  Comentar

De Manuel Vila Pouca a 12 de Maio de 2013 às 16:38
Houve muito Proença e ainda bem. Ninguém pode acusar o árbitro de Lisboa de ter favorecido o F.C.Porto, pelo contrário. Proença arbitrou condicionado, pressionado, na dúvida, sempre contra a equipa dos Dragões.

Houve muita emoção, entusiasmo, muito público e muito apoio, um final que deixou marcas positivas e para mais tarde recordar nos portistas e marcas que se tudo correr normalmente, os benfiquistas tão cedo não esquecerão, mas não foi um grande jogo.

E houve pouco Porto. Pressionado pela necessidade de ganhar, frente a um adversário que jogou apenas para empatar, o F.C.Porto esteve ansioso, nervoso, pouco esclarecido, acusou a importância do jogo, não esteve inspirado. Se se juntar a isso, o facto de alguns dos seus principais jogadores não estarem numa noite feliz, estão explicadas as razões para a vitória, justa, mas muito difícil do F.C.Porto. Foi uma vitória na amarra, da crença, da alma e de um espírito consolidado. É a marca do Dragão, aquilo que mais ninguém tem e que nos leva a acreditar e nunca desistir, mesmo quando as coisas parecem perdidas. Foi assim nesta parte final do campeonato, em particular depois de ficarmos a 4 pontos da liderança, foi assim hoje, quando o sonho parecia estar a fugir-nos . Não estava. Mais uma vez, o herói improvável, Kelvin, entrou e a passe de Liedson - o Levezinho não decidiu, mas ajudou a decidir -, resolveu.

É verdade que tivemos mais bola, quisemos mais ganhar, mas nunca fomos uma equipa dominadora, organizada, profunda, contundente. Não seria fácil, o tempo corria a favor do clube do regime, o maior desgaste físico e mental foi de quem só lhe servia a vitória, é verdade, mas e como já disse, faltou brilho e qualidade à exibição portista. Faltou, principalmente, o talento de James e o Jackson da 1ª volta. Valeu o mal amado Varela - grande bofetada de luva branca está a dar o Dragba da Caparica a alguns portistas ...- e tal como frente ao S.C.Braga, o puto Kelvin, capaz de perder bolas fáceis, mas também capaz de tirar coelhos da cartola.

Estamos no nosso habitat natural a uma jornada do fim e quando assim é, não costumamos facilitar. Mas termino como comecei: calma e caldos de galinha, não fazem mal a ninguém. É esse o nosso lema. Quando não se embandeira muito em arco nas vitórias e não se dramatiza muito as derrotas, estamos sempre protegidos e as desilusões, mesmo as mais difíceis de suportar, duram apenas um ou dois dias.

Abraço

Desde 22/04/2011
FC PORTO 2012
Supertaça
Bi-Campeões
Este é o Nosso Destino
A vencer desde 1893
Taça dos Campeões Europeus 1987
Taça Intercontinental
1987
Supertaça Europeia
1988
Taça UEFA
2003
Liga dos Campeões
2004
Taça Intercontinental
2004
Liga Europa
2011
Estádio do Dragão
Modalidades
Andebol - Tetra Campeões
Hóquei em Patins
Basquetebol
Origem da Visita
free counters
Maio 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

13
14
15
16

19
21
22
23
25

27
28
29
31


Contador
blogs SAPO